Header Ads

Resistência Apologética

Fernando Nascimento se auto-refuta ao citar David Irving - O escritor que nega a veracidade do Holocausto.

Toda a lorota do Fernando Nascimento se resume na sua abjeta afirmação de que o Holocausto Judeu e o antissemitismo nazista tem origem no protestantismo, mais especificamente em Lutero com seu livreto anti-judaico.

Ele se baseia nas palavras do próprio Hitler em sua obra "Minha Luta". Só que nesta mesma obra, Hitler afirma que teve a ajuda de Deus, de padres e luteranos no combate ao inimigo judeu. Portanto, a menos que o Fernando admita isso, temos mais uma evidência de seu favoritismo tendencioso e virulento em se tratando de fatos históricos.

Para além disto, os fatos históricos foram muito bem expostos por mim em diversos artigos aqui mesmo no blog....:


Ele insiste em ser seletivamente ignorante com seu favoritismo alegando que Lutero era antissemita, contudo foi lhe mostrado que o antissemitismo de Lutero tinha DNA católico romano assim também como as inflamações antissemitas na Alemanha nazista tinha a mesma origem no antissemitismo católico romano de séculos antes de Hitler. 

Foi mostrado ao Fernando que cerca de 16 Concílios da Igreja, e também muitos papas e pais da igreja tiveram infelizes pronunciamentos anti-judaicos. Inclusive, o maior teólogo do catolicismo romano do século XVI, Johannes Eck, também o foi miseravelmente recorrente em alegações tão antissemitas quanto as de Lutero.


Portanto, o Fernando Nascimento foi refutado e nada objetivou contra as refutações que lhe contraditam em todas as suas afirmações. Porém, púbere pedante que é, o Fernando Nascimento retorna com as mesmas objeções antes tornadas inválidas, contudo, prontamente foi desafiado a um hangout (vídeo chamada com transmissão ao vivo via youtube) mas fugiu. Podem ver isto aqui:



Antes, este mesmo apologista católico, já havia sido refutado por mim aqui neste outro vídeo abaixo:




Ao fim, depois de ser totalmente esmagado, ele retorna criando um espantalho para rebater em um ponto isolado e pouco relevante na minha argumentação, que seria Hitler ter mencionado ser ainda católico e que sempre assim iria ser.


O Fernando Nascimento ignora que Hitler era maluco, doido varrido, ele era gnóstico paganista. Se afirmava cristão tanto quanto o diabo afirma ser anjo de luz. Ele afirmava que DEUS, o Deus cristão o ajudava, e nisso ele se gabava de unir protestantes e católicos num ideal em comum que era a ELIMINAÇÃO DO INIMIGO JUDEU criador do MARXISMO COMUNISTA QUE QUERIA DOMINAR O MUNDO. Por na conta do protestantismo as loucuras de Hitler, é ser completamente tendencioso e descarado.
Hitler em sua obra " Minha Luta" pg 239 assim afirmava:


Para o futuro da humanidade, não importa saber se os protestantes vencem os católicos ou os católicos os protestantes, mas sim, se o homem ariano é conservado no mundo ou se desaparece. Apesar disso, essas duas confissões, longe de combaterem o destruidor da espécie[o judeu], tratam apenas de se aniquilarem mutuamente. Justamente o homem de sentimentos nacionalistas devia ter a sagrada obrigação, cada um dentro do seu próprio credo, de cuidar, não só de falar sempre da vontade de Deus, mas também de cumpri-la, não permitindo que a obra de Deus seja desonrada. A vontade de

Deus foi que deu aos homens sua forma exterior, sua natureza e suas faculdades. Aquele que

destruir a obra de Deus está desta forma combatendo a obra divina, a vontade divina. Por isso cada

um se esforce por agir com eficiência no campo da sua confissão e reconheça como seu primeiro e

mais sagrado dever fazer frente contra aqueles que, por palavra, atos ou omissões, saem do terreno
da sua religião e tentam imiscuir-se com as outras confissões. Pois o combate aos detalhes de uma
determinada religião tem, devido à divergência religiosa existente na Alemanha, forçosamente como
resultado uma guerra de efeitos destruidores para os dois credos.(colchete para ênfase acrescentado).

Com isso vê-se ai que Hitler alegava unir católicos e protestantes no serviço da obra de Deus, e na mente dele qual era essa obra? Eliminar o judeu destruidor da espécie humana.

Que Hitler era católico, disso todos sabemos, mas esse não é o ponto do meu argumento nem nunca foi. O Fernando passa então a rebater nisso dizendo que Hitler foi excomungado, só que isso nada contradita o que eu disse sobre O ANTISSEMITISMO EUROPEU antes de Hitler que infectou não só a Lutero mas também muitos papas e autoridades católicas que fizeram decretos inclusive, os mesmos decretos usados contra os judeus. Novamente, vejamos quais foram estes decretos:

Olhem as leis de perseguições aos judeus, criadas pelo catolicismo comparem com as leis criadas pelo nazismo contra os judeus e percebam que todas elas são inspiradas nos concílios católicos.
Catolicismo RomanoNazismo                  
Sínodo de Elvira, em 306
Proibição de casamentos e relações sexuais entre cristãos e judeus e proibição aos judeus de comerem junto com cristãos.

Em 15 de setembro de 1935:
O nazismo fez o mesmo, criando a lei de proteção ao sangue e honra dos alemães
 Sínodo de Clermont, em 535Exclusão dos judeus de todas as funções públicas 
7 de abril de 1933:
O Nazismo fez o mesmo, criando a Lei para a restauração do serviço público profissional.
 Sínodo de Orleans, em 538Proibição aos judeus de terem empregados cristãos.
15 de setembro de 1935:
O Nazismo fez o mesmo, com sua Lei para a Proteção do Sangue Alemão e Honra Alemã. 
 Sínodo de Orleans, em 538Proibição aos judeus de aparecerem nas ruas durante a Semana Santa.
03 de dezembro de 1938:
O Nazismo fez o mesmo, com um decreto que autorizava as autoridades locais proibirem os judeus de aparecem nas ruas durante certos feriados.
XII Concilio de Toledo, 681 Destruição do Talmud e outros livros judaicos.Os nacionais-socialistas fizeram o mesmo em toda a Alemanha.
 Sínodo de Trulanic 692Proibição aos cristãos de se tratarem com médicos judeus.
 25 de jullo de 1938:
Cria-se um decreto nazista estabelecendo o mesmo.
  Sínodo de Narbonne 1050 Proibição a cristãos de conviverem com familias judias.
 28 de dezembro de 1938:
O nazismo faz o mesmo, criando a Diretiva de Goering, proibindo a concentração de judeus em casas residências arianas.
 Sínodo de Szabolcs,  1092Proibição de trabalhar aos domingos Idem.
 Terceiro Concilio de Latrão, em 1179O Canon 26, proibe  judeus deporem contra cristãos em tribunais.
 9 de setembro de 1942:
O nazismo faz o mesmo, com a Proposta de Chancelaria do Reich, impedindo os judeus de executarem ações civis na Justiça.
Terceiro Concílio de Latrão, em 1179Judeus são pribidos de receber herança de cristãos.
 31 de Julho de 1938:
Novamente, o nazismo toda a mesma medida, criando um decreto que permite ao Ministério da Justiça substituir as vontades que ofendem o "bom senso das pessoas".
Quarto Concílio de Latrão, em 1215Estabelece o uso obrigatório de um símbolo a ser usado pelos judeus em sua vestimenta como marca de identificação.
 01 de setembro de 1941:
O nazismo faz o mesmo.
 Concilio de Oxford, em 1222 Proibição de construir novas sinagogas.Idem.
Sínodo de Viena, em 1267 
Proibição a cristãos de assistirem as cerimônias judias.
Proibição aos judeus de discutir doutrinas da religião cristã com cristãos do povo.
24 de outubro de 1941:
O nazismo faz o mesmo, proibindo aos arianos de manterem quaisquer relações asmistosas com os judeus.
Sínodo de Breslau, em 1267Se estabelece o confinamento de judeus em Guetos obrigatórios.
21 de setembro de 1939:
Inicia-se a Ordem de Heydrich, definindo o aprisionamento de judeus em guetos.
 Sínodo do Ofen, em 1279Proibição aos cristãos de venderem ou alugarem bens imobiliários a judeus.Idem.
 Sínodo de Lavour, em 1368 Proibição de vender ou transferir aos judeus objetos pertencentes à Igreja.Proibição de vender ou transferir aos judeus objetos pertencentes ao estado nazista.
 Concílio de Basiléia, em 1434  Proibição a judeus de agirem como intermediários em transações comerciais, imobiliárias ou contratos de casamentos.Idem.
 Concílio de Basileia, em 1434Proibição de dar títulos acadêmicos a judeus.
25 de Abril de 1933:
O mesmo faz o nazismo, retirando os judeus de todas as escolas e universidades.
Fonte: Raul Hillberg, A destruição dos judeus da Europa.

Não apenas Concílios da Igreja fizeram pronunciamentos idênticos aos de Lutero, mas também outros renomados pais da igreja. Justino, o Mártir por exemplo, em 160d.C condenou os judeus como "filhos de meretrizes". (O Diálogo com Trifão).

Tertuliano em 200d.C escreveu o primeiro manifesto cristão sistemático contra os judeus.(Contra os judeus.)
Até mesmo Cipriano, em 250d.C, escreveu: "O diabo é o pai dos judeus".

João Crisóstomo, em 387d.C disse, por exemplo, que a sinagoga era "lugar de blasfêmia, asilo do diabo e castelo de Satanás". O hostoriador Paul Jhonson nos relata que:

“Cedo no quinto século, o principal teólogo grego João Crisóstomo (354-407) pronunciou oito “ Sermões contra os Judeus”  em Antioquia. Não se permitia aos judeus construir qualquer nova sinagoga. Tiveram de alterar a data do Pêssah para que sempre ocorresse depois da Páscoa cristã. Era um crime insistirem os judeus em que suas escrituras fossem lidas em hebraico, mesmo em suas próprias comunidades. A lei tornava tão fácil quanto possível converter judeus, embora a formula do batismo contivesse uma declaração por cada judeus de que não fora induzido por medo, ou esperança de ganho. Qualquer judeu apanhado molestando um converso era queimando vivo, e um judeu convertido que voltasse à sua fé era tratado como herético.”

“A Igreja sempre apresentara os judeus como um perigo espiritual. Desde o século XII, a superstição popular os apresentara como um perigo social e também físico. (...) Com a conversão[de judeus ao catolicismo] o antisemitismo tornou-se mais racial do que religioso, mas os antisemitas[católicos] verificaram, como o fariam seus sucessores na Alemanha nazista, que era excessivamente difícil identificar e isolar judeus por critérios raciais. [os católicos]Foram obrigados a regressar, como aconteceria com os nazistas, aos velhos critérios religiosos.  Por motivos religiosos não se podia perseguir um judeu porque nascera judeu, ou porque  seus pais eram judeus; tinha de ser mostrado que, de alguma forma, ele ainda praticava o judaísmo em segredo.”(  Paul Johnson, História dos Judeus, pag 234.)

O próprio historiador  católico romano, Paul Johnson que cito acima, nesta mesma obra "História dos Judes" nos relata também sobre outro famoso pai da Igreja, neste caso Ambrósio de Milão:

"Em 388, uma população cristã instigada pelo bispo local, incendiou a  sinagoga de Callinicum, no Eufrates. Teodósio I resolveu fazer um teste no caso, e ordenou que a sinagoga fosse reconstruída às custas dos cristãos. Foi fortemente denunciado pelo mais influente de todos os prelados cristãos, o bispo Ambrósio de Milão. Ele advertiu Teodósio, numa carta, que a ordem era altamente prejudicial ao prestígio da igreja:”Que é mais importante”, perguntou:”a demonstração de disciplina ou a causa da religião? A manutenção do direito civil é secundária diante do direito religioso.” Ele pregou um sermão em frente ao imperador formulando esse argumento, e a ordem imperial foi vergonhosamente retirada."


Um dos mais influentes teólogos da Igreja, em 415, o bispo Agostinho de Hipona escreveu: 

"A verdadeira imagem dos Hebreus é a de Judas Iscariot, que vendeu o Senhor por prata. Os Judeus nunca poderão entender as Escrituras e para sempre carregarão a culpa pela morte de Jesus."

“Santo Agostinho(354-430), o mais influente de todos os teólogos latinos, argumentou que os judeus, por sua mera existência, eram parte do projeto de Deus, já que eram testemunhas da verdade do cristianismo, simbolizando seu fracasso e humilhação o triunfo da igreja sobre a sinagoga.”(Paul Jhonson - História dos Judeus)


Tudo isso e muito mais foi devidamente levantado contra o palpiteiro apologista Fernando Nascimento que insiste em jogar na conta do protestantismo a CULPA PELO HOLOCAUSTO. 

E em seu desespero de provar que o Holocausto Nazista promovido contra os judeus é culpa de protestantes, ele ignora todas as objeções que lhe refutam, e em seu espantalho favoritista acaba por se auto-refutar.

Se negando a se retratar de suas péssimas objeções e fugindo de um confronto que lhe esmaga o favoritismo tendencioso, Fernando Nascimento usa seu trunfo de falácia genética. Ele exige que se mostre a fonte de certa frase atribuída a Hitler. Isso da parte dele foi uma demonstração de desespero, pois ele mesmo jamais cita qualquer fonte válida e quando cita, faz referência incorreta e pra piorar, até hoje não nos trouxe as suas supostas fontes de que Lutero teria pregado contra o Decálogo ou que tenha dito que Cristo era um adultero e que Deus era estupido, tirano e louco. Supostas alegações que já foram refutadas (aqui) e (aqui ), e também (aqui).

Mas atendendo ao pedido do Fernando Nascimento prontamente neguei que a fonte seria o Mein Kampf de Hitler como antes alguns mencionaram, embora nesta obra o próprio Hitler afirma ter apoio de padres católicos tanto quanto de pastores luteranos.  Fernando Nascimento(armado com sua falácia genética desbotada) exige então que se lhe aponte a fonte da citação de Hitler. De imediato eu menciono o diário de Egel, que o estava analisando para checar a frase de Hitler dita numa carta enviada a seu general em 1941. Contudo avisei de antemão que esse sequer era algo relevante em minha argumentação. 

O Fernando Nascimento então saca seu trunfo falacioso e dispara o argumento do escritor David Irving de que o Diário de Egel é uma fraude do pós-guerra. E com isso, a hiena enxadrista, Fernando Nascimento, estufa o peito, defeca no tabuleiro da discussão, e sai correndo a cantar vitória. 

Mas, para desgraça do próprio Fernando Nascimento que nunca se atualiza de suas informações por ser preso ao seu tendencioso favoritismo religioso, sua replica ao Diário de Egel lhe sai como um tiro no seu próprio pé e como mordida no seu próprio traseiro de hiena romana. Ora, David Irving é bem conhecido por seu tendencioso, fraco e controverso revisionismo sobre a II Guerra onde ele NEGA QUE HOUVE UM HOLOCAUSTO JUDEU promovido pelos nazistas.

Dentre outras coisas, o Dave Irving do Fernando Nascimento, nega que:

1- O governo nazista alemão colocou em prática uma política de perseguição deliberada aos judeus com a finalidade de sua exterminação enquanto povo.

2 -  Que mais de cinco milhões de judeus foram sistematicamente mortos pelos nazistas e seus aliados;

3 - Que o genocídio foi realizado em campos de extermínio a partir da utilização de ferramentas de assassinato em massa, tais como câmaras de gás.

Este mesmo David Irving foi até mesmo condenado e preso por suas declarações revisionistas, onde muitas delas afirmam que o Holocausto é um mito judaico do pós-guerra. O proprio Irving afirmou em julgamento que não é um especialista nesse assunto. Pode-se ver isto (aqui). Fato é que tanto Irving quanto outros revisionistas são considerados academicamente como FRAUDES.

Portanto já se vê ai mais uma farsa do Fernando Nascimento RUINDO.... Pois Irving além de considerar o Diário de Egel uma fraude, ele não faz isso para sustentar a defesa do Fernando Nascimento, antes, ele o REFUTA. Pois, se não houve ataque sistemático dos nazistas contra os judeus e o holocausto não passa de um mito... LOGO, PROTESTANTISMO não deu ORIGEM AO NAZISMO MUITO MENOS A PERSEGUIÇÕES CONTRA JUDEUS. Irving é um dos que questionam até mesmo a autenticidade do Mein Kampf de Hitler com seu revisionismo.

Contudo, o Diário de Egel não foi a unica fonte que usei. Para maior desgraça do Fernando Nascimento, quem o refuta é John Toland Willard, um historiador americano e biografo de Hitler, que recebeu o Prêmio Pulitzer sobre a história da II Guerra Mundial. 

Toland, em sua obra Adolf Hitler, na pagina 507 da Editora Anchor Publishing (aqui), tomou nota do General nazista Gerhard Engel em que ele relata que, em 1941, Hitler o envia uma carta onde entre outras coisas registra-se:

"Eu sou agora como antes, um católico e sempre será assim "
O mesmo foi relatado, para desespero do Fernando REFUTADO , pelo pesquisador de História da Igreja, Christopher Reyes, em seu livro - In His Name: Volume III da Paperback– Abridged, May 16, 2014, na pagina 363 (aqui).


Portanto, mais uma vez o Fernando Nascimento, foi totalmente refutado e desta vez pelo seu próprio favoritismo tendencioso e ignorante. Por isso, sugiro ao Fernando que pense mil vezes antes de nos enfrentar, pois não é com criancinhas que ele irá topar. Melhor que fique lá com sua raça no seu lixo FIM DA FARSA onde é o seu lugar.


Nota: – Irving em seu livro ‘A guerra de Hitler’ (1977) – contesta a existência do Holocausto e considera que Hitler era “amigo dos judeus”. O procurador do Ministério Público, Michael Klackl, considerou que Irving “é tudo menos historiador, é um ambicioso falsificador da História”, já que afirmou que durante o nazismo houve crimes isolados e que a maioria das vítimas nos campos de concentração morreram por causas naturais. Irving, foi detido em Novembro de 2005 na Áustria, depois de há 17 anos ter negado a existência do Holocausto e o extermínio de mais de seis milhões de judeus, e foi condenado a uma pena de três anos de prisão.

Daí já se vê a farsa lamuriosa do Fernando Nascimento em ser um revisionista descarado.


Att: Elisson Freire



3 comentários:

  1. Esse Fernando Nascimento é o maior fraudulento e picareta de toda a internet. Parabéns pelo seu artigo, Elisson. Deus lhe abençoe.

    ResponderExcluir
  2. de fato o Fernando Nascimento não é um cara abalizado, pois com essa gafe que ele cometeu se mostrou totalmente despreparado para um embate honesto sobre defender o Romanismo católico romano dele, meus parabéns Elisson por esse excelente trabalho.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Seja respeitoso e saiba que não aprovamos comentários de anônimos caso se trate de conteúdo inapropriado ao artigo, como ataques, deboches ou críticas irrelevantes e sem nada a acrescentar. Não publicaremos comentários que não tenham a ver com o tema do artigo. Se quiser fazer uma crítica ou sugestão, utilize a página de Contato.

- Obs.: Todos os comentários são moderados antes de serem publicados então:

* É de sua inteira responsabilidade o que será escrito aqui.

* Não use o caps lock a menos que queira enfatizar alguma palavra. Textos em caps lock serão excluídos!

* Escreva sem xingamento, respeite o seu próximo. Comentários depreciativos e ofensivos serão deletados. Assim como os que fugirem ao escopo do artigo.

- Caso deseje contraditar algum de nossos artigos, certifique-se de o ter lido completamente e verifique se a sua objeção já não está respondida em outra postagem nesta página. Utilize a barra de pesquisa e o painel de temas.

- Comentários tumultuosos e que apenas repetem objeções já abordadas no artigo, serão ou deletados ou receberão uma dura resposta por sua desatenção.

Tecnologia do Blogger.