Header Ads

Resistência Apologética

O Sola Scriptura no Catecismo da Igreja Católica Romana

Símbolo do Catecismo Romano

O princípio de que somente a Escritura Sagrada deve nos servir de base e guia nas questões de fé, moral e doutrina, tem sido o principal alvo de ataque por parte dos apologistas católicos. Em suas objeções é comum nos depararmos com alegações do tipo: "Sola Scriptura é coisa do diabo. É heresia demoníaca afirmar que tudo o que o cristão deve seguir em matéria de fé, prática, moral e doutrina da parte de Deus, esteja apenas e SOMENTE NAS ESCRITURAS."

Contudo, o Catecismo da Igreja Católica Romana, que é uma exposição da fé católica e da doutrina da Igreja Romana, cujo os membros desta o consideram como "fiel e iluminado pela Sagrada Escritura, pela Tradição apostólica e pelo Magistério da Igreja", assim se expressa a respeito do caráter, uso e conteúdo das Sagradas Escrituras:

Deus é o autor da Sagrada Escritura. «A verdade divinamente revelada, que os livros da Sagrada Escritura contêm e apresentam, foi registrada neles sob a inspiração do Espírito Santo».
«Com efeito, a santa Mãe Igreja, segundo a fé apostólica, considera como sagrados e canônicos os livros completos do Antigo e do Novo Testamento com todas as suas partes, porque, escritos por inspiração do Espírito Santo, têm Deus por autor, e como tais foram confiados à própria Igreja»
Deus inspirou os autores humanos dos livros sagrados. «Para escrever os livros sagrados, Deus escolheu e serviu-se de homens, na posse das suas faculdades e capacidades, para que, agindo Ele neles e por eles, pusessem por escrito, como verdadeiros autores, tudo aquilo e só aquilo que Ele queria»
Os livros inspirados ensinam a verdade. «E assim como tudo o que os autores inspirados ou hagiógrafos afirmam, deve ser tido como afirmado pelo Espírito Santo, por isso mesmo se deve acreditar que os livros da Escritura ensinam com certeza, fielmente e sem erro, a verdade que Deus quis que fosse consignada nas sagradas Letras em ordem à nossa salvação»
[Fonte: Catecismo da Igreja Católica - parágrafos 105 a 107.]

O que o Catecismo afirma sobre as Escrituras é que elas:


  • Tem Deus por autor;
  • São a verdade divinamente revelada;
  • Foram registradas sob a inspiração do Espírito Santo;
  • Foram confiadas à Igreja;
  • Contém TUDO AQUILO e SOMENTE AQUILO que Deus determinou;
  • Ensinam a verdade;
  • Tudo o que ela afirma deve ser tido como afirmado pelo próprio Espírito Santo;
  • Elas ensinam com certeza, fidelidade e infalibilidade (sem erros), a verdade que Deus quis nos transmitir em ordem à nossa salvação.

Estas coisas afirmadas pela própria Igreja Romana com respeito as Escrituras, são exatamente aquilo que nós afirmamos e defendemos sobre o princípio do Sola Scritura. Desde que entendemos que as Escrituras são tudo isso dentre outras coisas igualmente significantes, podemos concluir ser inadmissível que algo ou alguém possa servir-nos melhor como guia e base de fé, doutrina e pratica em ordem a nossa salvação.

Ainda que em seu catecismo a igreja romana afirme que se é necessário se submeter ao seu Magistério e a sua Tradição, seria contraditório seguir tais coisas dando-lhes a mesma estima, prestígio e dever que se é logicamente admitido prestar a Escritura, uma vez que Magistério e Tradição não se mostram real e devidamente gozando das mesmas prerrogativas que as Escrituras.

Para se excluir o fato de que as Escrituras não são suficientes e não devem ser tomadas como unica regra de fé, doutrina e prática, deve-se se buscar outra alternativa que seja no mínimo de igual autoridade, conteúdo, uso e caráter. Mas isso é algo que não podemos encontrar no Magistério e muito menos na Tradição. Tradição e Magistério, são mutantes, não provaram ao longo da história ter o aval de certeza, fidelidade, infalibilidade e determinação absoluta daquilo e tudo aquilo que Deus quis nos transmitir.

Ora, podemos ver que o Catecismo reconhece que a Bíblia é TUDO E SOMENTE AQUILO o que Deus queria nos registrar à nossa salvação. POIS É EXATAMENTE ISTO QUE O SOLA SCRIPTURA AFIRMA.

Tudo o que é necessário sabermos e seguirmos em matéria de fé, doutrina, pratica cristã e moral, DEUS QUIS QUE ASSIM FOSSE por meio UNICAMENTE E SOBERANAMENTE DAS ESCRITURAS, pois elas e apenas elas nos "ensinam com certeza, fidelidade e sem erro".

Poderiam os católicos afirmar o mesmo a respeito da Tradição e Magistério em detrimento do Sola Scriptura sem contradizer seu Catecismo? Podem os católicos demonstrar que ao longo dos séculos a Tradição e o Magistério se mostrou como sendo algo que confirme unicamente aquilo exposto na Escritura, sendo elas a expressão de TUDO AQUILO E SOMENTE AQUILO que Deus quis nos transmitir em ordem a nossa salvação? A própria tentativa de limitar a autoridade da suficiência das Escrituras em seu catecismo, demonstra a incoerência e contradição da Igreja Romana ao afirmar que ainda que as Escrituras sejam tudo isso, você precisa da Tradição e do Magistério para o guiar nas coisas que ela mesma afirma que apenas as Escrituras tem competência para fazer. Conseguem perceber isso? Como podem lidar com isso honestamente e ao mesmo tempo repudiar o princípio de Sola Scriptura?

Antes que o católico leitor deste artigo raciocine sobre o que responder, preste atenção agora em alguns detalhes importantes sobre o princípio do Sola Scriptura que passo a expor abaixo de acordo com o que sempre foi proposto pela Reforma Protestante.

O Sola Scriptura não afirma que somos o povo de um livro, mas, que, se quisermos ser o povo de Cristo, o verbo vivo, temos de nos submeter ao verbo escrito que é a sua PALAVRA pois é nela que DEUS QUIS registrar TUDO E SOMENTE AQUILO que ELE QUIS que fosse consignado a nossa salvação.

O Sola Scriptura não nega que devamos nos submeter a outras autoridades ou que devamos nos ater a certas tradições, mas, que, tais autoridades e tais tradições, se não estiverem corroboradas PELA ESCRITURA, ou se conflitarem com o que nela está exposto, então, não devemos nos submeter a estas especificas autoridades e supostas tradições, POIS ELAS VIOLAM aquilo que DEUS QUIS que estivesse na ESCRITURA pois ela é TUDO E SOMENTE AQUILO que ele QUIS consignar com certeza, fidelidade e sem erros.

Portanto, admitindo que o Espirito Santo é quem fala por meio e na Escritura, é inadmissível que ele nos TRANSMITA algo diferente ou conflitante com o que nela foi registrado. A igreja deve portanto confirmar a ESCRITURA sempre submetendo a ELA tudo o que disser, toda a sua tradição e toda a sua autoridade, pois ela é a VERDADE sem erro a qual a Igreja foi chamada a ser coluna e sustentáculo. Ou seja, ela deve ser responsável por manter intocada, ao longo do tempo, a mensagem do Evangelho, a verdade das Escrituras, a doutrina apostólica.

Tradições, autoridades e doutrinas que conflitem com a mensagem do Evangelho, a verdade das Escrituras e a doutrina apostólica devem ser repudiados, NISSO SE RESUME A FINALIDADE DO SOLA SCRIPT URA enquanto lema de que A Escritura contém TUDO E SOMENTE AQUILO que DEUS QUIS QUE NELA ESTIVESSE e que é NECESSÁRIO A NOSSA SALVAÇÃO.

De acordo com isso, em outras palavras, Sola Scriptura significa que a única regra de fé e prática para os cristãos são as Escrituras Sagradas do Antigo e do Novo Testamento, pela simples razão de que elas, e somente elas, são inspiradas por Deus. A tradição oral, os pronunciamentos dos concílios e líderes religiosos e as opiniões de teólogos não são. Tais coisas como Tradição, Catecismos, Concílios, pregações e magistérios, podem até ser úteis em nossa compreensão das Escrituras e da nossa história, bem como nas aplicações de seus princípios às questões de nossos dias, mas isso, apenas quando não contradizem as Escrituras. Contudo, nenhuma destas coisas é a base e o fundamento para nossa fé e práticas. Sola Scriptura significa que podemos sim aceitar uma tradição oral desde que se possa demonstrar que ela tem origem no ensino dos apóstolos. Da mesma forma, podemos até aceitar os ensinos dos Pais da Igreja, desde que comprovadamente estejam de acordo com os escritos do Novo Testamento.

Diante disto o católico pergunta, "e onde está o Sola Scriptura na Bíblia?". A resposta para essa pergunta se obtêm no momento que o cristão entende e compreende o que o Sola Scriptura afirma, e esse princípio afirma exatamente o que as Escrituras afirmam sobre elas mesmas:

"...a Escritura não pode falhar” (Jo 10.35).

“Pois tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança” (Rm 15.4).

“Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração” (Hb 4.12).

“Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim” 
(Jo 5.24).

Pode o católico honestamente afirmar o mesmo com relação ao Magistério e a Tradição da Igreja Romana sem apelar a Escritura que ele julga não ser suficiente para isso? Ao tentar responder a si mesmo, chegará a uma conclusão final e irrefutável, SOLA SCRIPTURA!

Att: Elisson Freire

12 comentários:

  1. Amigo Elisson Freire, considero que este articulo posee un titulo errado, el Catecismo de la Iglesia no avala la "sola scriptura". En tal caso enseña la suficiencia material de la Escritura, que es la misma que enseñaron los Padres de la Iglesia.

    Hay una diferencia entre la "suficiencia formal" de la Escritura que es la que define el concepto de "sola scriptura" defendida por los protestantes, y la "suficiencia material" que defendemos los Católicos. La primera enseña que todo esta claramente explicado en la Escritura, pero esto es mentira dado que vemos como hay protestantes que difieren en diferentes doctrinas por ejemplo el bautismo de niños que aceptan los Luteranos pero que rechazan los bautistas y ambos dicen basarse en la "sola scriptura".

    Ya desde allí se encuentra el problema el protestante al intentar defender la "sola scriptura".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não que esteja a priori dando o seu aval, mas expressa exatamente aquilo que é o Sola Scriptura. Há ainda o fato do Catecismo se contradizer, pois se Deus colocou na Escritura tudo e somente o que ele quis que soubessemos para a nossa salvação, como pode então ela não ser completa e vcs confiarem em supostas revelações orais extra-bíblicas?

      Quanto a protestantes que divergem quanto a uma doutrina, informo que isso não invalida o Sola Scriptura, pois ambos os grupos buscam o aval da mesma. Seu argumento seria o mesmo que dizer que, a autoridade de papa se invalida devido a jesuítas, franciscanos, molinistas, tomistas e agostinianos, além de carismáticos e tridentinos se estranharem entre si por divergirem em questões semelhantes.

      Excluir
    2. No la expresa exactamente, como dije cuando mucho solo expresa la "suficiencia material" de la Escritura que es la misma que expresamos y defendemos los católicos. Lo que tu vez como contradicción no existe. Es mas si miras el párrafo 85 del Catecismo, se refuta la "sola scriptura" al señalar que SOLO al magisterio vivo de la Iglesia se le encomendó interpretar auténticamente la palabra de Dios, oral o escrita, en nombre de Jesucristo.

      Ese párrafo de por si, ya ayuda a destruir el principio de "sola scriptura" que cualquiera creyera ver en el Catecismo. De la misma forma nos dice el párrafo 95 y 97.

      95 «La santa Tradición, la sagrada Escritura y el Magisterio de la Iglesia, según el plan prudente de Dios, están unidos y ligados, de modo que ninguno puede subsistir sin los otros; los tres, cada uno según su carácter, y bajo la acción del único Espíritu Santo, contribuyen eficazmente a la salvación de las almas» (DV 10,3).

      97 «La santa Tradición y la sagrada Escritura constituyen un único depósito sagrado de la palabra de Dios» (DV 10), en el cual, como en un espejo, la Iglesia peregrinante contempla a Dios, fuente de todas sus riquezas.

      Ahora bien, se debe comprender que el mismo Catecismo señala lo siguiente sobre la revelación divina.

      66 "La economía cristiana, como alianza nueva y definitiva, nunca pasará; ni hay que esperar otra revelación pública antes de la gloriosa manifestación de nuestro Señor Jesucristo" (DV 4). Sin embargo, aunque la Revelación esté acabada, no está completamente explicitada; corresponderá a la fe cristiana comprender gradualmente todo su contenido en el transcurso de los siglos.

      La Iglesia no dice que despues de lo que quedo escrito, vendrían nuevas revelaciones. Sino que aunque la revelación publica ya quedo por escrita, NO está completamente explicitada por eso le corresponde a la Iglesia en su desarrollo dar a conocer una mejor definición de lo revelado, un ejemplo de esto lo tenemos con la Trinidad.

      Como dices que el hecho de que diversos protestantes difieren en doctrina, no invalida la "sola scriptura" si segun una de las definiciones de la sola scriptura expresa que es la “autoridad final o la corte de última apelación en todo lo que afirma (o implica)” (Norman Geisler, “The Origin and Inspiration of the Bible” en Systematic Theology, Vol. 1 (Minneapolis, MN: Bethany House Publishers, 2002), 240.).

      Pero vemos claramente que los protestantes difieren en doctrinas fundamentales como la comprensión del bautismo, pero ambos se basan en que sus "argumentos" son sustentados por la Escritura aunque no estén de acuerdo. Esto de por si ya representa un problema para los defensores del principio de la "sola scriptura". En cuanto a la comparación que haces, no creo que sea el mismo caso. Dado que tu mencionas diversas posturas de diversos grupos que existen en la Iglesia, pero las posturas que estos defienden no son temas dogmáticos. En cuanto a dogma estos grupos que mencionas y que claramente estén en comunión con el Obispo de Roma, profesan los mismos dogmas de fe.

      Excluir
    3. Como eu disse, o catecismo se contradiz ou contradiz vcs católicos, uma vez que no parágrafo 86, se diz SERVO da Escritura. Logo... Sola Scriptura. Convém lembrar, que o Sola Scriptura não exclui a necessidade de uma autoridade responsável em interpretar a Escritura, desde que não viole sua suficiência e clareza exegética.

      continuo a responder logo mais. Obrigado por comentar!

      Excluir
  2. Bueno lo que tu vez como contradicción es tu opinion, mas no la realidad. Porque solamente tu ves "solo scriptura" en el Catecismo. Cuando este no lo señala en ningún momento. Se que la definición que le dan a "sola scriptura" no excluye la autoridad de la Iglesia. Sin embargo, la misma definición que le dan a "sola scriptura" contradice a la misma "sola scriptura". Lo explico de la siguiente manera.

    Si la "Sola Scriptura" como la definen algunos protestantes (no como la entienden los protestantes actuales) fuera así como se menciona de que se aceptan la tradición, credos, concilios y el magisterio de la iglesia. Entonces los partidarios de "sola scriptura" no serian protestantes ya que aceptarían justamente lo que la Iglesia ha proclamado y transmitido durante 20 siglos. Hay cierta contradicción aquí como podemos ver.

    ResponderExcluir
  3. O que tem haver Deus colocar nas escrituras tudo o que ele queria colocar nelas, com a sola scriptura?
    O fato de Deus inserir "SÓ AQUILO QUE ELE QUERIA NA BÍBLIA", não contradiz em nada que Ele possa ter transmitido conhecimento fora das escrituras.
    Se uma pessoa decidir escrever uma biografia sobre sua vida, ele pode escrever TUDO AQUILO, E SÓ AQUILO QUE ELA QUERIA, o que não significa que seja realmente TUDO sobre sua vida. Vc está interpretando o verbo "queria" como se fosse "tudo". Se Deus escreveu só o que queria, não significa que escreveu tudo que tinha pra transmitir!

    A sola scriptura foi inventada 15 séculos depois, a partir disso já pode ser considerado como algo absurdo. Até porque isso nem consta na própria bíblia, ou seja, refuta a si mesmo. E depois, sem o conhecimento da tradição cristã é impossível compreender totalmente todas as doutrinas inseridas nas sagradas escrituras. Primeiro Deus Instituiu a Igreja, e a partir dela escreveu as escrituras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tiago Ferreira, vc desconhece até mesmo o que seria Sola Scriptura que em parte alguma significa que tudo deva estar exposto na Escritura e sim que, como aforma o catecismo que vc contradiz, tudo aquilo que Deus quis que soubéssemos acerca de nossa salvação, ele expôs na Escritura.

      Não negamos que podemos ter conhecimento de algo fora da Escritura e sim que esse algo a contradizendo, possa ser relevante. Sugiro ainda que se informe antes de dizer que Sola Scriptura foi inventado no século XVI uma vez que vemos a aplicação de tal princípio já na era apostólica e depois na patrística.

      Excluir
  4. Em um site católico, http://www.veritatis.com.br/apologetica/biblia-tradicao-magisterio/a-suficiencia-formal-e-material-das-escrituras/, define-se que a suficiência material como "todas as informações necessárias para se formular uma doutrina estão presentes nas Escrituras". Exatamente o que o protestantismo diz. A diferença na prática não existe, já que não é dito pelos protestantes que tudo está explicado pela escritura. Essa afirmação é tão falsa que não pode ser dita por quase nenhum escrito do mundo. Em geral não se explica o que está escrito. A partir disso que a ciência da hermeneutica e da exegese se torna necessária. Na realidade, os católicos admitem a autoridade da palavra, porém notam que na prática essa autoridade contraria a sua própria religião, levando-os a inventarem outras formas de interpretação da voz divina. Porém, analisando-se tecnicamente os três documentos, nota-se que o único que perspassa os critérios necessários é a documentação escrita. O que se fala não se mantém e o magistério é a análise secundária das questões. Logo, a Sola scriputura é usada pelos católicos, porém sob a conveniência ou não destes, ou seja, de uma forma enviesada e desonesta.

    ResponderExcluir
  5. Caro Elisson Freire. O catecismo não defende Sola Scriptura. O fato de se afirmar que nas Escrituras estão as Revelações de Deus e somente as revelações de Deus não implica logicamente que somente nas Escrituras está a Revelação de Deus. O magistério da Igreja é complementar à Sola Scriptura, visto que a Ela mesma diz que muitas coisas feitas por Jesus não foram registradas.

    A idéia de que o testemunho verbal é inseguro vai contra o próprio poder de Deus. Nenhum raciocínio do mundo pode provar que simplesmente porque um testemunho foi escrito ele é seguro. Há questões de critica textual bem cabeludas que mostram muitas vezes alterações em larga escala que atingem regiões inteiras. Somente o poder de Deus poderia preservar a Bíblia, mas neste caso esse mesmo poder poderia preservar o magistério.

    Como se não bastasse o Sola Scriputura é impossivel! Quando pegamos um dicionário para descobrir o significado de uma palavra somos levados para outras palavras; se não soubéssemos o sentidos das palavras encontradas seriamos levados para ainda outras e assim ad infinitum. Mas o sentido das palavras que conhecemos não conhecemos de outras palavras primitivamente, mas sim da vivencia em experiencias com os objetos correspondentes num aprendizado com outros.

    Isso é testemunho verbal e não escrito. Qual o sentido dos textos bíblicos? Não dá pra saber simplesmente lendo livros antigos. Toda interpretação e significado dos textos antigos sejam ele bíblicos ou não só chegam, sem exceção, até nós através de testemunho verbal.

    Isso mostra que é impossível de se livrar de um "magistério". Você pode rejeitar o magistério da Igreja, mas terá de buscar então outra tradição não escrita para interpretar e conhecer o sentido dos textos antigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Rodolpho. Acompanhe o que o seu catecismo diz:

      1- A verdade divinamente revelada, que os livros da Sagrada Escritura contêm e apresentam, foi registrada neles sob a inspiração do Espírito Santo».

      2- Essa escritura contém: tudo aquilo e só aquilo que Ele queria»

      3- por isso mesmo se deve acreditar que os livros da Escritura ensinam com certeza, fielmente e sem erro, a verdade que Deus quis que fosse consignada nas sagradas Letras em ordem à nossa salvação»

      Ora, tais coisas ditas acerca da Escritura é exatamente o que afirmamos sobre o SOLA SCRIPTURA. Se nela está tudo aquilo que DEus quis que estivesse, e ela é infalível, logo, só um louco admitiria outra fonte com igual autoridade sendo que o mesmo não se pode dizer da Tradição MUTANTE que Roma diz resguardar. Simples.

      Claro que a Revelação de DEus não está apenas na Escritura, mas apenas ela é tida e posta como toda suficiente a nos guiar em matéria de fé, doutrina, prática e moral sendo a norma final que se utiliza para ponderar qualquer outra autoridade ou revelação. Dessa forma, vc rebate mesmo em um pedante espantalho demonstrando desconhecimento do que seria o sola scriptura.

      Excluir
    2. Outro erro seu é dizer "visto que a Ela mesma diz que muitas coisas feitas por Jesus não foram registradas." como se isso fosse argumento contra o sola scriptura, e não é.

      O texto que se refere a coisas que Jesus fez e não foram registradas, se relacionam a feitos miraculosos e seus sinais, e não sobre doutrinas e ensinamentos. Alias, ninguem na historia antiga da igreja defendeu que outras coisas alheias as escrituras fossem de igual autoridade que ela.

      Outra mancada sua é desacreditar um testemunho escrito inspirado pelo Espirito Santo para favorecer um testemunho oral, sem rastreamento seguro e sem inspiração alguma de Deus. Vcs só podem estar de palhaçada.

      Excluir
    3. No mais, toda a sua "argumentação" já está devidamente respondida e abordada no artigo acima caso não tenha notado. Mas obrigado pela sua atenção!

      Pax et Bonum

      Excluir

Seja respeitoso e saiba que não aprovamos comentários de anônimos caso se trate de conteúdo inapropriado ao artigo, como ataques, deboches ou críticas irrelevantes e sem nada a acrescentar. Não publicaremos comentários que não tenham a ver com o tema do artigo. Se quiser fazer uma crítica ou sugestão, utilize a página de Contato.

- Obs.: Todos os comentários são moderados antes de serem publicados então:

* É de sua inteira responsabilidade o que será escrito aqui.

* Não use o caps lock a menos que queira enfatizar alguma palavra. Textos em caps lock serão excluídos!

* Escreva sem xingamento, respeite o seu próximo. Comentários depreciativos e ofensivos serão deletados. Assim como os que fugirem ao escopo do artigo.

- Caso deseje contraditar algum de nossos artigos, certifique-se de o ter lido completamente e verifique se a sua objeção já não está respondida em outra postagem nesta página. Utilize a barra de pesquisa e o painel de temas.

- Comentários tumultuosos e que apenas repetem objeções já abordadas no artigo, serão ou deletados ou receberão uma dura resposta por sua desatenção.

Tecnologia do Blogger.